18 anos...



11/11. 

É engraçado lembrar o quanto eu não esperei ter 18 anos. Eu nunca quis as coisas que vem com a maioridade. Eu sabia que as coisas não mudariam ao acrescentar um número na minha idade. Aliás, eu achava que não mudariam. E agora que inicio os 19, percebo o quanto amei ter 18.


A princípio uma grande surpresa da vida: a maior parte dos meus 18 anos aconteceram em 2018. O 8 é o meu número favorito, apesar de não ter nenhuma supertição ou significado especial. Eu gosto de ver o quanto eu me ressignifiquei nesse tempo. Comecei o ano com sonhos, planos, vontades, pessoas e ideias quase completamente diferentes das que tenho agora.

Precisei aprender o significado de persistência, alteridade, gratidão, resiliência e amor próprio. E falhei inúmeras vezes enquanto aprendia. Felizmente, eu sou o resultado de incontáveis erros.

Eu finalmente posso dizer que me conheci como nunca havia me notado antes. Eu fui surpreendida pela vida inúmeras vezes.

Com tudo isso, viciei-me em colecionar pequenas gratidões. E agora sou uma colecionadora: coleciono oportunidades, momentos, amigos, abraços, sorrisos e textos.

Enfim, que os meus 19 anos contribuam significativamente para essa minha paixão por colecionar. Gratidão !

Postar um comentário

0 Comentários